Acontece

LEADER SITE

Industria

Unipar anuncia Alexandre de Castro como Diretor Comercial de PVC
 
 
Executivo chega à companhia para liderar a equipe de vendas da divisão de PVC no Brasil e na Argentina, com mais de 20 anos de experiência na Indústria Química e passagens por
Braskem e Dow Chemical
 
 
 
A Unipar, uma das indústrias químicas líderes na produção de cloro, soda, derivados do cloro e PVC na América do Sul, acaba de anunciara chegada de Alexandre de Castro, novo Diretor Comercial de PVC da companhia.
 
ALEEUNIPAR
 
O executivo chega à Unipar para liderar o time de vendas da divisão nas operações de Brasil e Argentina.A Unipar mantém três plantas localizadas em Cubatão e Rio Grande da Serra, ambas no estado de São Paulo, e em Bahía Blanca, na província de Buenos Aires, a 650 quilômetros da capital portenha.
 
Egresso da Braskem, onde ficou por quase 16 anos, Alexandre de Castro também passou pela Dow Chemichal e descreve como encara este novo desafio. "Venho para a Unipar participar deste movimento de consolidação da companhia como uma das principais fabricantes de PVC da América do Sul, região onde já é líder absoluta na produção de cloro e soda, insumos essenciais para a cadeia de produção do PVC", afirma.
 
Alexandre é formado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), possui MBA em Gestão Empresarial para a Indústria Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além de já ter integrado o Programa de Formação para Líderes Globais, da Fundação Dom Cabral (FDC).
 
______________________________________________________________________________________________________
 
Objetivo outubro NOVO

VLI investe em tecnologia e telemedicina para combater o coronavírus

 

Empregados terão plataforma virtual de atendimento médico 24 horas; operações estão recebendo pirômetros digitais e câmeras termográficas

 

Plataforma de Telemedicina VLI

A VLI, companhia de soluções logísticas que opera terminais, ferrovias e portos, continua investindo constantemente em ações para conter o avanço do coronavírus no Brasil e seguir oferecendo serviços essenciais para o escoamento de bens pelo País e para o exterior. A empresa disponibiliza, a partir desta terça-feira (7), mais uma ferramenta de tecnologia de ponta para o enfrentamento da pandemia. Trata-se de uma plataforma virtual de telemedicina que pode ser acessada remotamente por todos os aproximadamente 7.500 funcionários da companhia e que está apta a auxiliar no diagnóstico de diversas doenças, entre elas a Covid-19.

 

Por meio deste recurso de inteligência artificial identificado pelo Inova VLI, programa de inovação da companhia, e desenvolvido pela startup Conexa Saúde; o empregado é avaliado, à distância, com segurança e precisão, por um médico do Departamento de Saúde da VLI, a qualquer hora do dia ou da noite. A avaliação é feita com a ajuda de um aplicativo e por meio de mensagens de texto e/ou de áudio, ou chamadas de vídeo de alta qualidade, que podem ser feitas por um telefone celular, por exemplo. Caso haja necessidade, um especialista da Conexa Saúde também poderá ser acionado remotamente, permitindo que o empregado seja avaliado por profissionais de diversas áreas, como clínica geral, cardiologia, neurologia, ortopedia, endocrinologia, dermatologia, oftalmologia e psiquiatria.

 

Para acessar a plataforma é necessário que o empregado baixe o aplicativo Conexa Saúde no smartphone e realize o cadastro no sistema. Automaticamente, esse cadastro é validado com a base de dados da VLI e, após a checagem, o acesso ao serviço é liberado. O app está disponível para sistemas operacionais iOS e Android.

 

“Estamos convictos de que essa inovação vai nos ajudar a atender nossos empregados na detecção da Covid-19, e de outras doenças; e na adoção de medidas para auxiliá-los adequadamente, oferecendo apoio e bem-estar, além de dar o devido encaminhamento em caso de necessidade", destaca Rute Melo Araújo, diretora de Gente e Serviços da VLI.

 

Tecnologia de ponta auxilia monitoramento de temperatura nas operações

 

O monitoramento da temperatura corpórea dos empregados da VLI é feito com a ajuda de pirômetros – sensores infravermelhos de alta precisão – e câmeras termográficas capazes de desempenhar esta função em maior escala. Três câmeras termográficas estão sendo instaladas nos acessos principais ao Terminal Integrador Portuário Luiz Antônio Mesquita (TIPLAM), na Baixada Santista, na Oficina de Paulínia, no interior de São Paulo, e na Oficina de Divinópolis, no interior de Minas Gerais. Juntas essas unidades recebem mais de 1.500 empregados diariamente. Com apoio de inteligência artificial, por meio da utilização de algoritmos, as câmeras são capazes de verificar a variação de temperatura, até 3 metros de distância entre o aparelho e o indivíduo, por meio da mensuração do calor emitido pelo canal lacrimal, situado próximo dos olhos. Para auxiliar nas verificações, as câmeras podem ser conectadas, via Wi-Fi, a monitores, facilitando a leitura e a interpretação dos dados.

 

A companhia adquiriu 90 pirômetros digitais para aferir a temperatura dos empregados e parceiros em outras operações. Caso seja notada qualquer alteração na temperatura, o empregado voltará para casa e receberá assistência médica por uma equipe da companhia.

 

Pacote de ajuda humanitária

 

No último dia 27, a VLI anunciou um pacote de ajuda humanitária, que contempla o montante de R$ 6 milhões para auxiliar os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins e Bahia no enfrentamento da pandemia do coronavírus. O pacote de doações atenderá três públicos: profissionais da rede pública de saúde, caminhoneiros e comunidades dos cinco estados. Serão distribuídos 420 mil itens entre máscaras e luvas para profissionais da saúde. Cerca de três mil caminhoneiros que passam diariamente nos terminais da VLI receberão 100 mil itens de alimentação, lanche para viagem e higiene pessoal para que possam continuar as suas atividades em segurança. E comunidades dos cincos estados e caminhoneiros também serão contemplados com a doação de 30 mil cestas básicas.

_________________________________________________________________________________

Objetivo outubro NOVO

Condomínio Industrial doa 50 mil EPIs em Cubatão

 

Os profissionais de saúde que, em Cubatão, atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, receberam um importante reforço. Mais de 50 mil equipamentos entre máscaras de proteção respiratória e luvas descartáveis, estão sendo doadas, à Prefeitura, pelo Centro de Integração e Desenvolvimento Empresarial de Cubatão – Cide/BS. A primeira leva, com 30 mil luvas, foi entregue nesta segunda-feira (6).

 

Para o diretor executivo do Cide, Ricardo Salgado, o foco é a diminuição do risco de transmissão. “Entendemos sobre a importância destes materiais para auxílio dos profissionais de saúde que estão na de linha de frente e, com isso, auxiliaremos no que for possível para o combate à pandemia. As indústrias também estão concentradas em ações de prevenção e monitoramento entre os colaboradores das empresas, garantindo uma operação segura”, afirma o diretor.

 

Desinfecção de vias públicas

 

Desde março, indústrias do Polo de Cubatão estão contribuindo de forma integrada para a higienização de ambientes públicos da cidade. Conforme antecipado por acontecedigital, a empresa Unipar forneceu cerca de 110 mil litros de água sanitária para a ação. As empresas Cesari, Terracom e Transportadora Meca participam da aplicação do material.

 

Anuncio jornal horizontal

 

Usiminas anuncia medidas

 

Diante do cenário desafiador e inesperado na economia brasileira, surgido no contexto da Pandemia da Covid-19, a Usiminas informa que vem adotando novas medidas de adequação de suas operações ao ambiente de mercado. 

As ações permanecem tendo como foco prioritário a saúde dos colaboradores e familiares, clientes e parceiros da companhia. Consideram, também, a necessidade de equilibrar a força de trabalho e capacidade operacional ao atual ritmo de produção e demanda, de minimizar os impactos no caixa da empresa e de buscar a preservação dos empregos.

 

Entre as adequações para a área operacional de Ipatinga, a serem adotadas a partir do mês de abril, conforme Fato Relevante divulgado pela empresa, está a paralisação temporária das operações dos Altos-Fornos 1 e 2 e as atividades da Aciaria 1. Serão mantidas as operações do Alto-Forno 3, Aciaria 2, laminações e galvanizações. Em decorrência das novas medidas, a empresa irá utilizar bancos de horas, readequação de efetivo de terceirizadas, alteração na tabela de turno, bem como a extensão de home office e a concessão de férias coletivas a parte do efetivo.

 

Já na Usina de Cubatão, na Baixada Santista, a produção será suspensa e será concedida antecipação de férias por 30 dias.

 

A Usiminas reitera que as medidas têm caráter temporário e o objetivo de ajustar sua produção à atual demanda de mercado. As iniciativas seguem a linha de outras empresas do setor e dos próprios clientes da companhia. Cabe ressaltar que a empresa segue recebendo pedidos que venham a ser feitos durante esse período e está preparada para retomar, com agilidade, o ritmo de produção de acordo com a demanda futura.

 

As equipes lotadas nos escritórios, por sua vez, tiveram o regime de home office estendido e as férias de parte dos efetivos da Usiminas Mecânica e da Soluções Usiminas já estão em curso. Para a segurança dos colaboradores que seguirão atuando nas plantas, a companhia segue aplicando todos os protocolos recomendados de medidas preventivas na condução de atividades operacionais. Entre outras ações, foi intensificada a higienização de áreas, aferição de temperatura na entrada da Usina e/ou ônibus, readequação de refeitórios, controle de lotação dos ônibus, cancelamento de viagens e visitas, suspensão de reuniões presenciais, entre outros.

A Usiminas reforça, ainda, que prossegue em permanente avaliação de outras medidas em resposta à pandemia e que poderá, caso necessário, realizar eventuais novas alterações na utilização de seus equipamentos para ajustar-se ao cenário do momento.

 ____________________________________________________________________

_trem bão

 

 

 

Protagonismo feminino no Polo

  

Os últimos anos foram marcados pela busca da equidade de gênero no mercado, frente ao número crescente de mulheres em postos de trabalho.

 

Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2018, do Ministério da Economia, a parcela feminina compõe cerca de 44,1% de profissionais empregados no País.

 

 

Na indústria este cenário é evidente. Com a chegada da Indústria 4.0, fatores como a automatização dos processos produtivos e suas especializações necessárias contribuem para o crescimento das mulheres no setor, principalmente pelo fato de serem atualmente a maioria entre os profissionais que detêm ensino superior e grande parte do público formado em ensino técnico no País, de acordo com a pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

 

 

No Polo Industrial de Cubatão, o protagonismo feminino se faz presente no dia a dia das empresas, em diferentes posições de trabalho, como é o caso da Priscila Almeida Rodrigues, da empresa Petrocoque, e Fabíolla Pereira de Paula, da Unipar.

 

Priscila é engenheira e técnica em química e atua como operadora de campo. Para ela, trabalhar no Polo de Cubatão há dois anos tem sido uma experiência enriquecedora, tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal e social. “Poder representar a força da mulher e ser um incentivo a quebrar barreiras, tem sido um retorno surpreendente da minha profissão. E o mais bonito de se ver é esse grande interesse do público feminino pela área industrial, com certeza, a indústria tem muito a ganhar com essa união."

Priscila

 

Fabíolla é coordenadora de Higiene, Saúde e Segurança e destaca dia 8 de março como uma grande oportunidade para reforçar a importância da igualdade entre homens e mulheres. “Trabalho a 12 anos em ambiente industrial e quase 6 anos na Unipar, em Cubatão, liderando a área de Segurança e Saúde. Percebo que o público feminino vem ganhado cada vez mais espaço na área e tenho muito orgulho de fazer parte deste cenário de conquistas das mulheres no mercado de trabalho”.

Fabíolla

 

Para o diretor executivo do Cide, Ricardo Salgado, a equidade reafirma a importância da integração para bons resultados. “As oportunidades sempre devem ser ofertadas a todos, sem qualquer distinção. O Polo hoje conta com profissionais de vários perfis que fazem a diferença em nosso dia a dia e as mulheres são fundamentais para a construção de nosso legado”.

____________________________________________________________________________

Atualizado TF

 

 

Ler Jornal

Facebook

Publicidade

Serviços


Praias Estradas