Suman anuncia medidas contra enchentes

 

Assunto foi debatido nesta terça (11), em reunião entre o prefeito Válter Suman e seu secretariado, além da Defesa Civil e demais assessores, em função das fortes chuvas ocorridas nos últimos dias, e que provocaram alagamentos em diversos pontos da Cidade

 

Começam a ser colocadas em prática, nos próximos dias, algumas medidas emergenciais voltadas à contenção de enchentes e alagamentos em alguns pontos da Cidade – um problema que tem como fatores principais as mudanças climáticas e também a histórica ocupação desordenada.

 

O assunto foi debatido nesta terça (11), em reunião entre o prefeito Válter Suman e seu secretariado, além da Defesa Civil e demais assessores, em função das fortes chuvas ocorridas nos últimos dias, e que provocaram alagamentos em diversos pontos da Cidade, como Santa Rosa, Santo Antônio, Enseada, Prainha e outras localidades de Vicente de Carvalho.

 

Durante o encontro no Gabinete do Executivo foi destacado que as enchentes e inundações são, na maior parte das vezes, causadas pela cheia dos rios, fazendo com que suas águas elevem-se acima do normal, principalmente quando há registro de chuvas intensas, como vem ocorrendo.

 

Além de estar relacionado a fatores naturais, o problema também tem sua causa ligada à interferência humana, com o mau uso do espaço urbano, a exemplo de ocupações irregulares em área de preservação, como morros e próximos a rios, o que ocasiona elevado índice de poluição, pelo descarte irregular de lixo e outros detritos, provocando o entupimento de bueiros, e a interrupção do fluxo de água e galerias pluviais, por exemplo.

 

Em vista desses fatores, a Prefeitura definiu algumas medidas para começar a minimizar o problema, que vem se aliar a ações que a Administração Municipal já realiza desde 2017, a exemplo da manutenção da limpeza de galerias nos vários bairros da Cidade, para melhor fluidez das águas pluviais, além de livrar o Município dos impactos causados por grandes volumes  de chuva, tendo em vista que o sistema hidráulico de macro e microdrenagem estavam abandonados  por mais de 20 anos.

 

Entre as medidas anunciadas para amenizar os impactos dos alagamentos estão a locação de mais equipamentos, inclusive caminhões, para reforçar a  execução de limpeza de canais e bueiros; notificação de conscientização das pessoas que estão nas casas em situação de invasão, tendo em vista que um dos principais problemas na Cidade são as ocupações irregulares; e a continuidade dos projetos de macrodrenagem, que são fundamentais para  o fim das enchentes e alagamentos.

 

Macrodrenagem

 

Com foco no fim dos alagamentos, a Prefeitura foi buscar recursos na esfera federal para realizar duas grandes obras de macrodrenagem e infraestrutura, que juntas somam investimentos de mais de R$ 150 milhões – os projetos  de macrodrenagem da Bacia do Rio do Meio e do Rio Santo Amaro.

 

Durante a reunião desta terça (11), foi anunciado que o projeto de macrodrenagem do Rio do Meio, no que se refere à infraestrutura urbana, foi concluído e licitado pela Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan). A obra terá início nas próximas semanas e será fiscalizada pela Secretaria de Infraestrutura e Obras (Seinfra).

 

Já o projeto da obra de macrodrenagem do Rio Santo Amaro foi concluído pela Seplan. A Prefeitura aguarda a conclusão das licenças ambientais, que serão emitidas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e, assim que vencida esta fase, será aberto o edital de licitação para realização do serviço.